quinta-feira, 19 de junho de 2008

Ministra sobre exames nacionais. Houveram???




“Gostava de lhe dizer que há uns quantos pessimistas de serviço neste país, muito pessimistas. O que acontece é que o país tem que estar sempre mal e os alunos ser sempre maus. Quando os resultados são, por si, maus e houveram??? fragilidades nos conhecimentos e nas competências, aí está a prova de que o país está mal”
MLR, (sic) in entrevista à SIC.

Será que Professora doutora Ministra da educação não sabe que não se diz houveram, mas houve??? Estavam a falar de quê? De exigência? Em português???

Se a virem por aí, deixem-lhe esta dica…
“O Verbo Haver
O verbo haver não tem somente o sentido de existir. Tem também o de ocorrer (caso em que também é impessoal): “Houve três acidentes em Camaçari”; o de obter, conseguir: “Ele espera haver o perdão do filho”; o de considerar, julgar, entender: “O árbitro houve por bem suspender a partida”; o de sair-se, comportar-se: “Ele se houve bem no concurso para juiz”. Pode ainda funcionar como auxiliar, na formação de tempos compostos: “Ela não havia feito o trabalho”.A forma houveram surge quando se emprega haver com qualquer sentido que não seja o de existir, ocorrer ou fazer (na indicação de fatos ligados ao tempo, fenômenos da natureza etc.): “Os sem-terras houveram do juiz a liminar”, / “Os funcionários houveram-se por bem encerrar a greve”, / “Os devedores houveram de me pagar”. Quando tem o sentido de existir, o verbo haver é impessoal, isto é, não tem sujeito e fica sempre na terceira pessoa do singular, em qualquer tempo ou modo. Assim, se dissermos: “Houve muitos festejos em louvar a São João”, houve é a terceira pessoa do singular do pretérito perfeito do indicativo. Note que o correto é: “Houve muitos festejos juninos”. (continua in http://hilltop.my1blog.com/o-verbo-haver/ )

segunda-feira, 16 de junho de 2008

Toca a abrir a perninha...

Agora que Portugal perdeu um jogo, logo com um país que nunca tinha ganho nada e só sabe esconder o dinheiro dos outros, fazer queijos, relógios e ver os outros a trabalhar para eles… Quer-me parecer que Sócrates vai ter uma semana mais agitada, bem e então se Portugal voltar a perder, prevejo que as coisas se irão tornar mesmo muito complicadas. Os maiores adeptos de sofá serão, certamente, os nossos governantes, visto que estão em fila de espera, para os protestos e abertura da perninha da parte do governo uma série de grupos profissionais, agricultores, taxistas, rebocadores, pescadores a gasolina, polícias, CP, sei lá quantos mais…
O que se vai passar? Depende. Se forem fraquinhos e não levantarem muito cabelo levam na tromba, e o governo virá vangloriar-se da sua implacabilidade; se forem um pouco mais fortes, isto é, daquela malta que tem bigode, arrota alto, deve cheirar mal e não sabe falar muito bem, então, o mesmo governo, reunirá com eles e abre a dita perninha, pagando todos nós, após os vermos vangloriarem-se de que dialogaram… Mais, quem irá pagar serão Instituições Públicas Sem Fins Lucrativos (como a Brisa…) sei lá: A Associação das Velhinhas Utentes dos Táxis, A Associação dos Empresários com Bigodes, A Associação dos Sócretinos Compulsivos, etc…
Bela semana se avizinha… Pelo menos, até ao próximo jogo…

Na pior das hipóteses... que tudo expluda...