sábado, 28 de junho de 2008

sexta-feira, 27 de junho de 2008

Governo italiano aprova lei que dá imunidade a Berlusconi

Consulta Pública EDP - POR FAVOR DIGAM-ME QUE É MENTIRA!




Uma amiga enviou-um mail com a mensagem que vos deixo e que diz bem de como vão as coisas neste país...



Quando li esta mensagem, pensei que não podia ser verdade.
Mas afinal parece que eles vão mesmo pôr isto em prática a não ser que haja muitas reclamações.
Aqui vai o link do Jornal de Negócios para verem que é verdade,
http://www.jornaldenegocios.pt/index.php?template=FIX_COMENTARIOS&id=320248&idCom=9

Esta cambada pretende pôr os cidadãos comuns e bons pagadores, a pagar as dívidas acumuladas por caloteiros clientes da EDP (e dos ladrões de electricidade que fazem as puxadas directas dos postes), num total de 12 milhões de euros e, para o efeito, a entidade reguladora está a fazer uma consulta pública que encerra a 7 de Julho. Em função dos resultados desta consulta será tomada uma decisão. Esta consulta não está a ser devidamente divulgada nem foi publicitada pela EDP, pelo menos que eu saiba. A DECO tem protestado, mas o processo é irreversível e o resultado desta consulta irá definir se a dívida é ou não paga pelos clientes da EDP. A DECO teme que este procedimento pegue e se estenda a todos os domínios da actividade económica e a outras empresas de fornecimento de serviços (EPAL, supermercados, etc.). Basta enviar um e-mail com a nossa opinião, o que também pode ser feito por fax ou carta.
Há que agir rapidamente, expressar veementemente o nosso repudio a tal procedimento, porque de contrário, como diz a expressão popular “quem cala, consente”.

Só hoje é que soube desta ignomínia…
POR FAVOR
Enviem o texto (que está aqui em baixo) para o E-mail indicado. E divulguem!!!! O máximo que puderem.


" Exmos. Senhores:
Pelo presente e na qualidade de cidadão e de cliente da EDP, num Estado que se pretende de Direito, venho manifestar e comunicar a V. Exas. a minha discordância, oposição e mesmo indignação relativamente à "proposta" – que considero absolutamente ilegal e inconstitucional – de colocar os cidadãos cumpridores e regulares pagadores a terem que suportar também o valor das dívidas para com a EDP por parte dos incumpridores.
Com os melhores cumprimentos,


Claro que este é um texto que eunão escreveria assim... mas o importante é que cheguem muitos mails para este endereço...

Enviar para: http://fr.mc262.mail.yahoo.com/mc/compose?to=consultapublica@erse.pt

Sem Comentários...

Como não educar um filho...


COMO NÃO EDUCAR UM FILHO

Conselhos para criar um delinquente... É interessante meditar neste resumo..
1- Comece na infância a dar o seu filho tudo o que ele quiser. Assim, quando crescer, ele acreditará que o Mundo tem a obrigação de lhe dar tudo o que ele deseja.
2- Quando ele disser nomes feios, ache graça. Isso fá-lo-á sentir-se interessante.
3- Nunca lhe dê qualquer orientação religiosa. Espere até que chegue aos 21 anos e 'decida por si mesmo'.
4- Arrume tudo o que ele desarrumar: livros, sapatos, roupas. Faça-lhe tudo para que aprenda a atribuir aos outros toda a responsabilidade.
5- Discuta com frequência na presença deles. Assim não ficará muito chocado quando o lar se desfizer mais tarde.
6- Dê-lhe todo o dinheiro que quiser.
7- Satisfaça todos os seus desejos de comida, bebida e conforto. Negar pode acarretar 'frustrações prejudiciais'.
8- Tome sempre o partido dele contra vizinhos, professores e autoridades. (Todos têm má vontade com o seu filho).
9- Quando ele se meter em alguma complicação séria, desculpe-se, dizendo que nunca o conseguiu dominar. E, finalmente...
10- Prepare-se para uma vida de desgostos. Vivemos num Mundo com tanta violência e visível falta de educação que vale a pena pensarmos melhor nos valores que estamos a inculcar nos nossos filhos.
O Mundo precisa de gente de bem e a responsabilidade também é nossa.
'EDUQUEM AS CRIANÇAS E NÃO SERÁ PRECISO CASTIGAR OS HOMENS'
Pitágoras

quinta-feira, 26 de junho de 2008

Bem-vindos ao mundo real...




Bem-vindos ao mundo real…

Confesso que li sem grande surpresa a notícia de que dois juízes tinham sido agredidos em pleno tribunal. Quem conhece, minimamente, os tribunais, salvo algumas excepções, não estão preparados para efectuarem julgamentos com o mínimo de condições quer de higiene, segurança, comodidade e, consequência de tudo isto e de tudo o que fica por dizer, de dignidade. Grande parte, senão a maior, não confere o mínimo de dignidade à aplicação da Justiça. Não é hoje tempo de falar em outras lacunas com elas, e com os seus actores, relacionadas e, se calhar, ainda bem, pois não devemos misturar alhos com bugalhos…
Não conheço as instalações da Feira, mas as que conheço chegam-me bem para afirmar com conhecimento de causa o que digo. Calor atroz, chuva e humidade, promiscuidade total, degradação completa dos edifícios, etc, etc. Em termos de segurança, com excepção dos casos muitos especiais, pura e simplesmente não existe… É só. Qualquer indivíduo, em 90% dos casos, pode agredir juízes e outros intervenientes, incluindo arguidos, testemunhas e Cia. Lda, com mais facilidade do que fora dos tribunais, já que ali estão mesmo à mão de semear…
Ora, assim, a justiça não é nem pode ser justiça… Quando os principais responsáveis pela justiça neste país, inclusive juízes, dizem que o assunto é grave fico estupefacto… Meus caros e, se for o caso, meritíssimos senhores, o caso não é grave, é muitíssimo grave e exige uma reflexão muito séria de todos nós, não pode ser, os políticos a viver em luxos asiáticos e o resto dos trabalhadores do estado a trabalhar em condições infra-humanas… Vejamos as coisas como eles as vêem: que respeito é que me merece um gajo que está para ali vestido de uma forma esquisita, com um palavreado que não se entende e está mesmo à mão de levar um estalo ou com uma cadeira nos cornos? Polícias? Com a contenção que tem havido, só maninhos somos mais do que o dobro deles, além que, possivelmente, melhor armados. Logo, estão mesmo a pedi-las…
Em vez do quartel de Bombeiros requisitem o gabinete do presidente da câmara, do governo civil e por aí… Podia dizer muito mais coisas… apenas algo se repete na minha mente: Bem-vindos ao mundo real… Ao dos professores, dos polícias, dos funcionários das finanças, das autarquias, dos médicos, etc, etc, etc. Sejam bem-vindos e não se admirem, se V.Exªs que têm o poder não tomarem medidas mesmo muito sérias, então, isto não só se vai repetir como multiplicar e, exponencialmente, nos outros, em casos que, depois, V.Exªs perdoam, compreendem e absolvem. Nesse caso, todas as que caírem fora, são perdidas… Temos, todos, de começar a dizer: por não estarem reunidas as condições mínimas, não julguei, não leccionei, não consultei, não aceitei, etc, etc,.
Bem-vindos ao mundo real…

Governo tem de assinar os jornais...


Nada me parece mais perigoso e triste para um país do que ser governado pelas notícias dos mass-media. Perigoso porque, para além de se estar sujeita à manipulação dos jornalistas que, assim, têm uma força que não deviam ter e, mais do que isso, corre-se o risco de ver-se uma corrida aos furos jornalísticos para ver resolvidos problemas das mais diversas ordens. Vem a propósito da questão das botas e fardamento geral da polícia. É evidente que um subsídio, seja ele qual for, que não é actualizado desde 1989 é absurdamente ridículo, quase tão ridículo e vergonhoso como o facto dos diversos ministros que passaram pelo cargo não terem reparado nele. Porém, estou certo que eles não se esquecem de actualizar os seus inúmeros subsídios. Mas o mais vergonhoso de tudo é um ministro, seja ele qual for e de qualquer parte do mundo, assim que vê sair uma notícia no jornal, correr a prometer tratar do assunto com a maior celeridade possível… Amanhã, os jornais estarão cheios deste tipo de notícias e os governantes deixarão de ser precisos, pois basta alguém que saiba ler e abanar a cabeça.

Um erro crasso…




Os agricultores que hoje se manifestaram em Braga cometeram um erro crasso… Serem apenas cinquenta… Ora, cinquenta agricultores, nem que seja acompanhados pelos seus tractores, são muito pouco para sensibilizar os nossos governantes, portanto, como eu já tinha escrito noutro post mais em baixo, “se forem fraquinhos e não levantarem muito cabelo levam na tromba, e o governo virá vangloriar-se da sua implacabilidade.” Foi o que aconteceu mas “se fossem um pouco mais fortes, isto é, daquela malta que tem bigode, arrota alto, deve cheirar mal e não sabe falar muito bem, então, o mesmo governo, reuniria com eles e abriria a perninha, pagando todos nós, após os vermos vangloriarem-se de que dialogaram… Portanto, pensem bem e contem-se primeiro, se acharem que podem chatear com alguma força e determinação, avancem. Senão… preparem-se para levar na tromba para servirem de exemplo…

quarta-feira, 25 de junho de 2008

Sócrates, o Mugabe da Europa…


O Alberto João Jardim é uma fonte inesgotável de delícias humorísticas… porém, lá vai acertando a torto e a direito, impunemente, em quem quer. Desta vez foi outra vez Sócrates o visado… E ainda bem, pois o homem é verdadeiramente execrável e então, rodeado pela sua pandilha, assentam que nem luvas ao Mugabe Europeu com as suas práticas “próprias do mais reles tribalismo e da maior africanização anti-democrática possível.” Bingo, cada vez mais o PS parece esquecer o que deve ser um partido político para se tornar uma tribo… o pior é que, para nosso mal, os da vovó Manela não são melhores, são, quanto muito apenas outra tribo diferente… (Não será por acaso que ele próprio já se vestiu de chefe tribal) Concluindo, tudo isto vale o que vale. O pior é para a grande maioria dos sem tribo, logo sem tachos, compadrios, negociatas, sem nada. Perdão, pelo menos uma coisa dão-nos: mais impostos.

Análise da sondagem/votação sobre as cuecas do Sócrates

Na sua opinão as cuecas do Pinto de Sousa (Sócrates) deviam ser:
de lã de vidro
4 (4%)
de lixa grossa
10 (12%)
de vidro moído colado em pano
65 (79%)
normais
3 (3%)
Votos até o momento: 82 Enquete encerrada
Em 2850 visitas



Imagem roubada de http://ocavalodedomjose.blogspot.com/2007/07/o-fim-do-mundo-em-cuecas.html

Análise da sondagem/votação
Costuma-se dizer, quando se apanha uma molha daquelas bem grandes, que foi daquelas em que a água nos chegou até às cuecas… A ideia original de molha, rapidamente pode, e assume, várias nuances, como encharcanço, baldada ou banhada. Neste caso, a questão parece-me prender-se mais com a última ideia… a banhada. Ninguém gosta de as levar, por isso é que elas são banhadas e não banhos, algo de pacífico, higiénico e cordato. Todavia, da análise que podemos fazer deste pequenos inquérito resultam alguns aspectos muito interessantes:
1º Os portugueses não gostam de votar…. Não custava nada carregar na possibilidade x, y ou z, porém, a maior parte dos meus ilustres visitantes não se deram a esse trabalho. Pura e simplesmente ignoraram o assunto… quiçá estejam de tal forma calcinados e desconfiados que já não consigam mais do que votar ao simples desprezo, o acto de votar; afinal de contas, parece não servir para nada, já que tudo ficará na mesma.
2º Os portugueses não se interessam por lingerie masculina, pois tanto lhes parece fazer cuecas deste ou de outro material. Sobre esse aspecto não se manifestam.
3º Parece haver 4% de votantes que desconhecem o que é lã de vidro e quais os seus efeitos, quando em contacto com as peles humanas… Se o soubessem, possivelmente, teria uma opção com muito mais adeptos, já que, ao contrário do vidro moído, produz efeito quer o indivíduo se mexa ou não, causando uma irritação profundíssima que é um misto de dor, comichão e incómodos inexplicáveis. Não se deve, pois, subestimar as potencialidades da lã de vidro na confecção do vestuário íntimo dos nossos governantes…
4º A Lixa Grossa era uma espécie de pequena armadilha feita por mim. Como sabem, se não nos mexermos a lixa, grossa ou fina, não nos afecta, pelo que é uma falsa questão, pois ter-se-ia que supor que o nosso Pinto de Sousa faria alguma coisa para ser lixado… Ora, como sabemos, é prática assente neste jardim florido à beira mar plantado, os nossos governantes não se mexerem, isto é, nada fazerem senão produzirem falsas promessas que não exigem mais do que movimentos de boca, pelo que também não é por aí que o gato vai às filhoses… Aqui caíram 12% dos votantes, acham que o homem algum dia pensou, sequer, mexer-se para mudar alguma coisa? Santa ingenuidade, para se fazer pior não é preciso mais do que deixar as coisas seguirem o seu rumo. Quando correm nas sarjetas as águas fétidas e putrefactas sabem encontrar o seu caminho natural para o esgoto…
5º Cuecas normais… aqui confesso que fiquei baralhado. 3 votantes escolheram esta opção e fiquei sem saber se a escolheram por saberem, sei lá, que o Joselito usa boxers, pelo que seria indiferente o tipo de cuecas que usa; se por se terem enganado a clicar, se a ler, se estão mesmo convencidas que o homem deve ter uma lingerie normal. Não sei. Não sei, ainda, se não será o celebrado espírito português de estar sempre do contra.
6º A larga maioria, quase 80%, opinaram que todas as miudezas e partes íntimas do nosso Pinóquio transmontano, do Porto, o que prova que a mentira nasceu com ele ou ele com a mentira, deveriam andar rodeadas de vidros cortantes e pontiagudos, com o objectivo de, desta forma, lhe provocarem uma ínfima parte da dor que merece… Como creio ter demonstrado em cima tal se deveu ao logro em que caíram, pois o que é incómodo e penoso para o parasita não é o cão que coçar-se mas, tão só não ter o que sugar. Assim, nada afecta aquele que ou não se mexe, ou usa boxers ou coisa nenhuma… talvez a tanga… é, também, outra hipótese…
7º Assim como assim, se estivesse na pele dele, não gostaria de ver ir a votos não aquilo que nos trama, mas aquilo que poderia um dia ter que vestir se fosse dada à maioria a possibilidade de aconchegar tão recônditas partes. Mesmo do que está no escuro e no mais recôndito dele ninguém parece gostar.

domingo, 22 de junho de 2008

Conversas da Beira Rio...

Rápido, vamos arranjar outro futebol, que o tempo urge… Deve ter sido em termos semelhantes que a máquina partidária do PS respondeu ao fim do futebol, daquele com jogadores, bolas e balizas… Mas o quê? Revelar que Sócrates voltou a fumar às escondidas ou que o Mário Lino foi mandado parar por uma brigada de trânsito depois do jantar? Não, talvez não seja boa ideia… Mas então o quê? Já sei, diz a certa altura uma voz funda e cavernosa, que podem ouvir aqui, vamos falar de uma intervenção megalómana em Lisboa, vai ser uma maravilha, vamos ter toda a gente a discutir todas as bizarrias e anormalidades que inventarmos, sei lá, uma nova praia com ondas artificiais no Poço do Bispo, uma piscina flutuante em Algés, de preferência no canal de navegação do porto de Lisboa, enterrar Alcântara, meter o Beato em cima da Madredeus, e abrir um projecto cujo prazo de execução possa ir até 25 anos, etc.
Óptima ideia, está combinado, ponha-se rapidamente a notícia a correr por aí e vão ver como vai tudo começar a olhar para outro lado… então a malta do Norte, carago! Aquilo é que vai ser…
Mas… e o dinheiro para isso tudo? Então, mas não vês que são só necessários uns trocos para uns estudos feitos pela malta amiga e a coisa morre por ali… E a praia com ondas artificiais… então, mas não anda não sei quem lá para o Norte a procurar utilizar a energia das ondas? E nós vamos aqui gastá-la para as fazer? Deixa lá, mais lucros tem a EDP, eh! eh! eh! E enterrar Alcântara, não é aquele sítio cravejado de viadutos provisórios há nem sei quantos anos? Não se lembrarão que para abrir um buraquinho no Terreiro do Paço foi o que foi, quanto mais Alcântara? Não é indecoroso sugerir que o Beato cavalgue a Madredeus? E 25 anos? Mas isso é uma obra de regime… era boa era para o Salazar, mas parece que já morreu, e o tempo da legislatura do governo está a acabar e o da câmara também não é eterno…
Porra que é estúpido! Não dás mesmo para a política… se não fosses filho de quem és que sabe o que sabe, que é dos nossos e a quem nós devemos tantos favores, ias já para os disponíveis… Bom, mas assim, arranjem lá ao gajo qualquer cargozito bem pago e ele que se deixe ficar por lá… Ah! Não se esqueçam de colocar uma cláusula de rescisão elevadíssima e uma pensãozita vitalícia…

Luciano Pavarotti - "Una Furtiva Lagrima"

E o cuzinho lavado com água de malvas, também não querem?


Dedução total do IVA na compra de viaturas é uma das 14 propostas
Federação do Táxi apresenta reivindicações para atenuar efeito do aumento dos combustíveis
21.06.2008 - 17h26
Por Lusa
A dedução total do IVA na compra de viaturas é uma das 14 medidas aprovadas hoje pela Federação Portuguesa do Táxi (FPT) para atenuar o efeito do aumento do preço dos combustíveis, que serão agora enviadas ao Governo.Durante a reunião nacional da FPT, o presidente do organismo, Carlos Ramos, apresentou como "reivindicações urgentes" a introdução imediata do gasóleo profissional, a dedução total e automática do IVA (Imposto sobre o Valor Acrescentado) na compra de táxis e a majoração em 150 por cento do IRC (Imposto sobre o Rendimento das Pessoas Colectivas) com efeitos já este ano. O congelamento das taxas de imposto sobre os produtos petrolíferos (ISP) durante os próximos três anos, a abolição das taxas pagas anualmente ao Instituto Português da Qualidade (no valor de 30 euros por táxi) e a criação de uma linha de crédito com juros bonificados pelo prazo de seis anos, destinada exclusivamente à aquisição de táxis movidos a energias alternativas, foram outras das medidas apresentadas. A FPT reivindica também a criação de um subsídio a fundo perdido no valor de quatro mil euros para aquisição de novos táxis movidos a energias alternativas e o reembolso do imposto automóvel sempre que novos táxis sejam adaptados a gás natural e GPL. O reembolso anual do pagamento especial por conta, que actualmente apenas pode ser solicitado ao final de três anos, junta-se à lista de reivindicações da federação, que integra ainda propostas de alteração à legislação laboral. "Caso o Governo não aceite as medidas de discriminação positivas propostas, não restará outra saída aos profissionais senão antecipar as negociações destinadas à revisão dos preços, por forma a que a nova convenção, que terminaria no final do ano, entre em vigor em Agosto", afirmou o presidente da federação.