sábado, 13 de dezembro de 2008

sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Atrás dos Tempos...

Atrás dos Tempos vêm Tempos e outros Tempos hão-de vir...

video

http://br.youtube.com/watch?v=HR7innRdkXY

Faltou o papelinho simplex...

FEZ BEM...

Ministério fecha negociações sobre avaliação docente para este ano lectivo.
Fez bem, porque a escola está perfeitamente pacificada e a trabalhar a 100%. Os professores, os alunos, os funcionários e os pais estão satisfeitos. O governo deve estar, pois, de consciência tranquila.
Por isso está tudo bem fechado...



LINDO EXEMPLO...



Comissão Parlamentar de Economia adiada por falta de quórum .

De 29 só estavam 8...
72,5% de faltas...

Que legitimidade ou moralidade tem esta gente para vir pregar aos outros sobre absentismo?

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Video Maria...

video

---

Lixo gera Lixo...

Ouvi muito vagamente o presidente da câmara de Lisboa a falar sobre o problema com que se defronta com os trabalhadores de limpeza da sua autarquia... Ouvi a sua voz, grave e funda a embalar conversas... Não esqueçamos as conversas, pois, se houvesse vergonha, não haveria este presidente da câmara, como não haveria muita coisa má neste país... É sempre bom ouvi-lo bem...

Caros Trabalhadores da câmara, deixem que a porcaria venha ao cimo, façam o que os outros não fizeram...

Que negociações?


Ministério e sindicatos retomam hoje negociações (?) sobre avaliação.

Infelizmente, as expectativas não são grandes e o mais certo é já ir tudo aprovado num tupperware, para aquecer um pouco no micro-ondas e servir. Não creio terem sido inocentes as intervenções esta semana do inginheiro e do gágá, como dizia já não sei quem, foi rapar até ao fundo do tacho para ver se por lá ainda havia alguma coisa. São indícios pouco animadores e que se estendem transversalmente a toda a sociedade portuguesa... parece que o inginheiro & Cia estão a querer forçar o país a uma tragédia grega... Se não é parece e o que parece, muitas vezes, é. Até ver...

Mas... quer o quê?



Amado revela que Portugal está disponível para receber presos de Guantánamo.


É sabido que as nossas prisões não são boas e estão sobrelotadas… Onde é que este cavalheiro, cheio de bons princípios, quer prender os presos dos americanos? Como vai fazê-lo? Libertando mais alguns portugueses? Onde é que vão ter cela para colocar o Vale e Azevedo? Vão recambiá-lo para Inglaterra por falta de vaga? Não quererá importar mais prisioneiros de mais lado nenhum? Afinal, quer fazer o quê? Levá-los para casa dele? Soltá-los?
Sinceramente, ainda não percebi…

quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

Mais do mesmo...

Angola: José Eduardo dos Santos vai recandidatar-se à presidência.

Más notícias para Angola... Esta recandidatura só pode querer dizer mais do mesmo, isto é, um país a duas velocidades, por um lado os muitíssimo ricos do costume, por outro, bem, por outro todos os que não sendo muitíssimo ricos são miseráveis. Será a continuação da moda das sandálias fixes num dos mais ricos países do mundo. Tenho pena...

Dúvidas...


Imagens Inéditas...


SOLUÇÃO SEM ESPINHAS...


Sabemos a dificuldade que representa para algumas pessoas contar a partir de 20 ou 30, sobretudo quando se trata de controlar entradas e saídas de qualquer lugar. No entanto, já que se trata de um assunto que deve merecer a maior importância, resolvemos contribuir para a resolução do problema através de uma técnica já antiga que, com alguns ajustes, poderá funcionar bem em S. Bento. Como a imagem mostra, há um afunilamento que apenas permite que passe um elemento de cada vez, permitindo uma contagem clara e sem confusões.

Para a identificação individual seria aplicado um pequeno chip intracutâneo, técnica que permite saber quem é, qual o lugar que deve ocupar e, por uma pequena descarga eléctrica, avisar de quando se deve levantar ou sentar. Muito importante, em caso de tentativa de saída da zona de permanência, faria tocar uma campainha estridente que alertaria o pastor.
Há outros modelos, não tão fiáveis, que se podem aplicar nas peças de vestuário mais íntimas, o que se bem que não impeça os esquemas fraudulentos, do género: fica aí com as minhas cuecas que eu já venho, sempre atenuaria alguma coisa, mas nunca é de fiar...


Dadas as circunstâncias, prevendo a possibilidade de haver montes de cuecas amontoadas aos cantos, e a inerência da própria função inicial, somos apologistas da primeira opção, até porque na instrução levanta/senta seria de muito maior rigor e fiabilidade.
Deixamos, assim, o nosso contributo para que quem necessita possa ter um meio fidedigno de contar, dar instruções e, mais ainda, garantir que os espécimes não fogem, depois de picarem o ponto. Evidentemente, a parte informática da contagem seria assegurada por um Magalhães, daqueles que usam os assessores do Primeiro Ministro, já que são baratos, pequeninos e com elevadíssimas capacidades.

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

VAI SER POR FAX...


Avaliação de professores é para manter, diz Sócrates.

"O primeiro-ministro, José Sócrates, garantiu esta tarde aos deputados do Partido Socialista (PS) que não vai haver qualquer alteração no modelo de avaliação dos professores."


Há qualquer coisa de estranho, como é que não vai haver qualquer alteração se já houve (houveram, segunda a ministra da educação, aqui) tantas... Se este modelo, que já foi considerado pela própria tutela como um modelo a ser substituído por ser inviável e impossível de aplicar, não serve porquê esta insistência?

Bem, mas de avaliação percebe o nosso inginheiro, certamente será por Fax enviado a um domingo...

Crónica de um corte anunciado...

Ditadura?



TC rejeita recurso da Fenprof sobre direito à greve.
TSF

O Tribunal Constitucional (TC) rejeitou, esta terça-feira, um recurso apresentado pela Federação Nacional dos Professores (Fenprof) sobre os serviços mínimos durante as greves agendadas pelos professores em época de exames.
Em causa estava uma deliberação do Supremo Tribunal Administrativo que, em Agosto deste ano, determinou que devem ser decretados serviços mínimos para as greves marcadas pelos docentes em época de exames.
A Fenprof decidiu recorrer para a mais alta instância judicial que acabou por rejeitar os argumentos da Federação, dando assim razão ao Ministério da Educação.

Artigo 57.º(Direito à greve e proibição do lock-out)
3. A lei define as condições de prestação, durante a greve, de serviços necessários à segurança e manutenção de equipamentos e instalações, bem como de serviços mínimos indispensáveis para ocorrer à satisfação de necessidades sociais impreteríveis.

Por mais que me esforce, não consigo vislumbrar nada de impreterível na realização de exames escolares, uma vez que estes se podem perfeitamente realizar um ou dois dias depois… Com os dados de que disponho não posso ir muito além disto, porém creio ainda ser livre para dizer que me parece não dever poder haver qualquer interferência entre os poderes consagrados, executivo, legislativo e judicial, sob pena de, se assim não for, devermos, despudoradamente, assumir que passámos a viver em ditadura.

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

POLÍCIA / EMPRESA...



Como sou professor, já percebi que é melhor ouvir quem trabalha do que o que dizem os ‘governantes’ (?)

Entrevista. Paulo Rodrigues, presidente da Associação Sindical dos Profissionais de Polícia da PSP (ASPP), o maior e mais moderado desta força de segurança, surpreende com críticas duras ao Governo e avisa que há oficiais a avaliar os polícias pelo número de multas e detenções que fazem
Que polícia criou este Governo?Primeiro começou por nos tirar direitos fundamentais, como a assistência na doença, e obrigar-nos a pagar por um serviço pior. Depois envelheceu a polícia, aumentando a idade de reforma. Em 2004 a média de idade era 38,5 anos, agora vai nos 40. O mesmo partido que, com António Guterres, apostou forte na imagem e credibilidade da polícia agora faz o contrário. Para agravar tudo, prepara uma série de legislação, como o Estatuto, o Regulamento de Disciplina, entre outros, que mostram claramente a intenção de transformar a polícia numa força servilista, apostada em agradar às hierarquias, mesmo que em detrimento da nossa principal missão, que é a prevenção criminal. Ou seja, em duas palavras, o cenário é negro. (…) Continua
aqui.

Parece já faltar muito pouco para fazerem o que há tempos venho dizendo… É preciso perder a vergonha e mandar as forças de segurança assaltar a população, obviamente passando uma guia do montante roubado,
não vão os malandros dos polícias abrirem conta no BPP…

Camisa Laranja...

domingo, 7 de dezembro de 2008

Albino Pinto Almeida, Dr.



Sexta-feira, 5 de Dezembro


OS ÓRFÃOS DA CONFAP


Na crónica de há quinze dias, um texto que questionava a relevância da Confederação Nacional das Associações de Pais (Confap) no "debate" sobre a educação enervou o respectivo presidente. Ontem, o DN publicou ao abrigo do direito de resposta uma carta do dito Albino Pinto Almeida, Dr. (é assim que, na carta, o senhor se intitula), pretensamente a desmentir-me. Pretensamente, insisto. Na prática, Albino Pinto Almeida, Dr. não contraria uma sílaba do que escrevi, limitando-se a cobrir de predicados a "voluntária" e "abnegada" instituição e de insultos o meu "infame" e "ultrajante" artigo. Deixo alguns exemplos.


1) Escrevi, porque se infere das suas posições públicas, que a Confap "costuma opor-se à avaliação e à reprovação das criancinhas". A reacção de Albino Pinto Almeida, Dr. não passa por fazer prova do inverso, mas por sublinhar o "tom pejorativo" que utilizei.


2) Escrevi que a Confap ameaçou processar os blogues que divulgaram o financiamento que lhe é atribuído pelo ministério da Educação. Albino Pinto Almeida, Dr., que não nega a intenção de processo e confirma o financiamento, descobre no meu "tom ofensivo" uma insinuação de ilegalidade que nunca me ocorreu e, imparável, segue por aí fora, entre considerações inflamadas acerca da "negligência" do "rigor jornalístico". Acontece que não me custa imaginar a licitude dos subsídios. Já Albino Pinto Almeida, Dr. revela óbvias dificuldades em imaginar o impacto de subsídios lícitos na isenção da organização a que preside.


3) Escrevi que a Confap se esforça "por manter as criancinhas presas em 'actividades extracurriculares'" e citei o seu próprio presidente, segundo o qual as crianças "são biologicamente nossas, mas socialmente de toda a comunidade". Albino Pinto Almeida, Dr. não comenta.


4) No fundo, Albino Pinto Almeida, Dr. esclarece somente a questão do crédito que a Confap merece. Na sua orgulhosa estimativa, aquela entidade representa "19.635 pais". Não duvido da estimativa nem tenho espaço para discutir a equívoca relação dos pais com a escola. Digo apenas que haverá cerca de um milhão e meio de alunos inscritos no ensino não superior, pelos vistos quase todos órfãos.


Alberto Gonçalves texto retirado daqui.

Pequeno comentário:

Apenas consegui ter acesso a esta peça, pelo que desconheço o resto e o contexto das declarações de um dos indivíduos que mais abomino. Porém chega-me a pequena citação que aqui se faz do inenarrável Albino Pinto Almeida, Dr (o que será isto???); faz-me lembrar aquele episódio do Vasco Santana com as tias e o empregado do jardim zoológico, em que o primeiro repetia constantemente para o último: chame-me Doutor, homem; chame-me Doutor; isso, mais alto… e por aí adiante. Bem, mas regressando à citação do Albino Pinto Almeida, Dr. ‘segundo o qual as crianças "são biologicamente nossas, mas socialmente de toda a comunidade."’
Tenho a dizer: este homem é um perfeito idiota e mentalmente perigoso; fala das crianças como propriedade sua, mas, obviamente, sem o conseguir especificar… as crianças são biologicamente nossas… o que quererá isto dizer? Da Confap, seja lá o que isso for, dele e na mulher, enfim é para mim um mistério insondável, que foi pena aquele precioso intelecto não ter tido o cuidado de explicar melhor. Contudo, entendo que dentro de qualquer ponto de vista, incluindo o biológico, as crianças, como qualquer homem, são seres únicos, inconfundíveis e irrepetíveis e, mesmo no caso dos gémeos monozigóticos, que não sei se é o caso das suas famosas gémeas, a diferença que vai entre o genótipo e o fenótipo é de todos tão conhecida que, talvez à excepção dessa luminária, não vale a pena realçar mais. Mesmo por aí, o burro não chega à alface.
Quanto à ideia de que as crianças são socialmente de toda a comunidade, ele que fale por ele e pelas filhas dele. O homem deve julgar que viva na república de Platão, na China ou no raio que o parta. Os meus filhos são únicos, são deles próprios e quero que assim continuem até ao fim das suas vidas e mais, sou capaz de lutar até à morte contra quem os queira tornar como socialmente seus… Esse amiguinho, pois, que se cuide, Dr. ou não quero que ele meta as suas ideias totalitárias e idiotas onde muito bem entender, espero é nunca ter de voltar a ler barbaridades deste calibre por sujeitos que, ao que julgo saber, são financiados pelo estado. Com esses financiamentos, que compre uma Constituição da República Portuguesa e que leia, já que é Dr., a
Declaração Universal dos Direitos da Criança.

Se não for capaz de o fazer, que se cale para o resto da vida e desapareça, que é um favor que nos faz a todos…