sábado, 28 de fevereiro de 2009

AVISO IMPORTANTE...

Dadas as circunstâncias e pelas notícias que vão chegando, aconselha-se a que o televisor seja adaptado às suas novas funções este fim de semana. Existem sérios riscos de actos de auto-vandalismo nas habitações portuguesas, sobretudo com o perigo de arremesso de objectos aos televisores.
Atente-se às previsões: lavagem ao cérebro, com os mais recentes e eficazes meios que o dinheiro pode comprar, aos idiotas ou aos incautos que não tomem as necessárias precauções.
"Primeiro-ministro será o único protagonista.
Emoção, tecnologia e vídeo na consagração de Sócrates em ano eleitoral.
Com predominância de vermelhos, a Nave Polivalente de Espinho estará preparada com telas gigantes onde serão projectados cenários. O objectivo, confessou um responsável socialista ao PÚBLICO, "é o de criar um grafismo emocional para ser transmitido pelas televisões".
Antídoto: aqui

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

Última Hora...



Justiça
Ministra da Educação vai ter o ordenado penhorado.
Por Margarida Davim
O Tribunal obrigou Maria de Lurdes Rodrigues a pagar 10% do salário mínimo, por cada dia de incumprimento de uma sentença judicial. Em causa está um processo interposto por um professor.

Em causa está uma acção interposta em 2007 por um professor, para anular as eleições para o conselho executivo da Escola Secundária Dr. João de Araújo Correia, no Peso da Régua.
Depois de ter perdido todos os recursos, o Ministério da Educação tinha três meses para cumprir a ordem judicial e repetir o acto eleitoral. Como não o fez, o Tribunal Administrativo e Fiscal de Mirandela decidiu que Maria de Lurdes Rodrigues deve pagar «10% do salário mínimo nacional» por cada dia de atraso no cumprimento da sentença que deu razão ao professor Pedro Pombo. O prazo começa a contar quinze dias depois do trânsito em julgado desta decisão – no dia 13 de Março.
«Enquanto cidadão, tenho o direito e, sobretudo, o dever de pugnar para que a legalidade seja reposta», afirmou ao SOL o docente, que diz esperar «que a tutela assuma, agora, as suas responsabilidades».

Lula Pena ao vivo no Cabaret Maxime a 11 de Novembro de 2007

O branqueamento do DUCE...


Toda a tecnologia e dinheiro disponíveis para branquear e colorir por cima todo um período de escândalos, mentiras e prepotência... Força nas luzes, força no som, força na televisão... Bem vão precisar dessas forças ocultas para ocultarem o que fizeram ao país...

Forca Sócrates, Forca...

Siiim?

Decisão formalizada ontem à noite.
Paulo Pedroso é o candidato do PS à Câmara de Almada.


Que pena 2...


Meus caros, confesso que o post anterior foi um misto de desabafo, brincadeira e provocação… Não, não defendo que se parem mal os carros e muito menos que se ande aos tiros seja a quem ou ao que for. Contudo, há tipos destes que são umas autênticas melgas… É o resultado de dar aquele pequeno poder a pessoas que o não deviam ter. Uma coisa é multar um carro que está mal estacionado, outra rebocar um carro que está a incomodar seriamente seja o que for e outra ainda que é estar à espera que passe um minuto, junto de um carro que está bem estacionado, mas cujo tempo estimado pelo condutor está a acabar… Três coisas diferentes. Se as duas primeiras me parecem óbvias já quanto à terceira há casos e casos… Já me aconteceu estacionar o carro, não ter moedas, ir trocar dinheiro e quando voltei ter lá um desses simpáticos funcionários a tirar a matrícula e a resmungar que o problema não era dele… Mais, já me aconteceu parar para comprar tabaco, num sítio proibido mas que não incomodava ninguém sugerido por um arrumador e, ao regressar, não mais que três minutos depois ter o carro em vias de ser rebocado.
É verdade que também já me aconteceram situações inversas, e é por isso que eu penso que o bom senso (que como dizia Descartes é o que se encontra melhor distribuído, já que ninguém se queixa de não o possuir) é uma condição necessária ao exercício de qualquer actividade. Situações em que parei o carro e, não tendo moedas, disse ao funcionário que tinha que as ir trocar e este me respondeu que estivesse à vontade que não havia problema… Era a este tipo de coisas que eu me referia e com que eu estava a brincar quando escrevi o outro post.
A este propósito, termino com uma história verídica a que assisti já há muitos anos, mas que recordo sempre com muito prazer. Foi no tempo dos primórdios dos parquímetros, estava eu a estudar em Coimbra quando, ao sair da casa onde morava, na avenida Sá da Bandeira, um amigo que saía comigo me disse: Espera aí. Não fazia ideia do que ele ia fazer nem do que se passava. Foi então que me apercebi da situação. Os parquímetros eram novos e daqueles jurássicos em que se metiam as moedas e se rodava uma patilha correspondente ao tempo que se pagava. Depois de feito, aquilo ia rodando até chegar a uma zona vermelha que eram o últimos cinco minutos. Ora, precisamente ao lado do parquímetro, estava um polícia já com o seu livro de recibos preparado para autuar o infractor assim que o tempo chegasse ao zero. Esse meu colega reparou e chegou lá, meteu dez ou vinte paus e rodou outra vez a tal patilha, que conferia o direito a lá estar estacionado mais algum tempo. O polícia, inconformado, perguntou-lhe se o carro era dele, ao que ele respondeu que não, que nem tinha carro, mas que era livre de pôr moedas nos parquímetros que lhe apetecesse… Gostava que vissem a cara do polícia…

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

O QUE QUER DIZER...

BPP: Banco de Portugal prolonga por 45 dias congelamento do dinheiro de clientes.
Talvez não devesse ser eu a dizer isto mas... É a imagem que mais se aproxima do que penso virá a ser a realidade dos ricos que não são ricos ou são ricos, mas não suficientemente ricos para serem ricos, ou pobres com muito dinheiro no banco ou o que quiserem...
Hoje nem vou dormir de tão ralado que estou com o que possa acontecer aos detentores desse dinheiro depositado num banco onde, se eu tentasse entrar, possívelmente, me seria negado o direito de admissão por não ser rico ou não ter o ar de suficientemente pobre para ir fazer a limpeza...

Faz Sentido...


Atendendo à ténue diferença e substancial importância entre actos lícitos e ilícitos e respectivos prazos de prescrição, faz todo o sentido...

AVISO!

Que não desunam os sindicatos o que a sinistra uniu...
...
Os sindicatos têm que perceber que não são um trampolim pessoal, mas organizações que devem servir quem representam. A divisão da carreira é rejeitada pela esmagadora maioria dos professores, por todos os motivos e mais um. Que os sindicalistas não se atrevam a dar-nos uma segunda facada nas costas como deram com o memorando...

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

Depende de quem vota...

A questão é saber se os portugueses gostam ou não do perfil do homem que é chico esperto para primeiro-ministro.

Ciclo de Parasitagem...

Demoras na entrega do Magalhães está a causar ansiedade às crianças.
O inenarrável albino almeida Dr. ataca de novo… Olha a ansiedade que o magalhães provoca nas criancinhas, cospe. Dêem-lhes Xanax, digo eu, e, enquanto não recebem essa porcaria, ensinem os miúdos a ler e a escrever. Sem essa ferramenta básica, nenhuma outra lhes serve para nada, a não ser para jogarem e essas plataformas não lhes devem faltar… Depois, diz o inenarrável, é inaceitável numa sala estarem uns alunos a trabalhar com o magalhães e outros não. Pergunto, o quê que ele tem com isso? Quem tem de o saber são os professores que dirigem as aulas, a responsabilidade e a noção de oportunidade de utilização dos ditos aparelhos é deles, pelos vistos há quem os utilize em grupo, o que prova que o inenarrável não só não percebe nada do assunto, como só deveria dar palpites sobre o trabalho dos outros se lhe pedissem opinião, coisa que não me parece ser o caso… Meta-se, pois, na sua vida e deixe os outros resolverem e gerirem as suas dificuldades… Durante anos os professores utilizaram os escassos computadores que existem nas escolas em trabalhos de grupo ou à vez, sempre souberam gerir isso e sabem, com toda a certeza, gerir isto…
Outro aspecto que esta chaga da sociedade parece esquecer, e esta bem mais grave do que a porcaria do Magalhães, é o que se passa com os cursos EFA, em que há muitos alunos ainda à espera dos códigos e, aí sim, o computador pessoal é quase imprescindível, já que as escolas não possuem máquinas em número suficiente e, neste tipo de cursos, é uma ferramenta muito importante, já que têm que pesquisar e escrever os trabalhos nestes aparelhos.
Cabe ainda dizer que, obviamente, a culpa de tudo isto é dos professores. Essa corja que não quer trabalhar como o bininho manda e que só lhe dá atenção quando lhe apetece rir um pouco. Tudo o resto que tem de nós é o mais profundo e merecido desprezo.
Para terminar, qualquer cêntimo que o Ministério da Educação, ou seja quem for, entregue à tua confraria é dinheiro tão mal gasto e inútil para a educação como tu, que bem sabes que os cêntimos são mais que muitos