domingo, 22 de junho de 2008

E o cuzinho lavado com água de malvas, também não querem?


Dedução total do IVA na compra de viaturas é uma das 14 propostas
Federação do Táxi apresenta reivindicações para atenuar efeito do aumento dos combustíveis
21.06.2008 - 17h26
Por Lusa
A dedução total do IVA na compra de viaturas é uma das 14 medidas aprovadas hoje pela Federação Portuguesa do Táxi (FPT) para atenuar o efeito do aumento do preço dos combustíveis, que serão agora enviadas ao Governo.Durante a reunião nacional da FPT, o presidente do organismo, Carlos Ramos, apresentou como "reivindicações urgentes" a introdução imediata do gasóleo profissional, a dedução total e automática do IVA (Imposto sobre o Valor Acrescentado) na compra de táxis e a majoração em 150 por cento do IRC (Imposto sobre o Rendimento das Pessoas Colectivas) com efeitos já este ano. O congelamento das taxas de imposto sobre os produtos petrolíferos (ISP) durante os próximos três anos, a abolição das taxas pagas anualmente ao Instituto Português da Qualidade (no valor de 30 euros por táxi) e a criação de uma linha de crédito com juros bonificados pelo prazo de seis anos, destinada exclusivamente à aquisição de táxis movidos a energias alternativas, foram outras das medidas apresentadas. A FPT reivindica também a criação de um subsídio a fundo perdido no valor de quatro mil euros para aquisição de novos táxis movidos a energias alternativas e o reembolso do imposto automóvel sempre que novos táxis sejam adaptados a gás natural e GPL. O reembolso anual do pagamento especial por conta, que actualmente apenas pode ser solicitado ao final de três anos, junta-se à lista de reivindicações da federação, que integra ainda propostas de alteração à legislação laboral. "Caso o Governo não aceite as medidas de discriminação positivas propostas, não restará outra saída aos profissionais senão antecipar as negociações destinadas à revisão dos preços, por forma a que a nova convenção, que terminaria no final do ano, entre em vigor em Agosto", afirmou o presidente da federação.

4 comentários:

Anónimo disse...

... e a liberdade total de fazer pagar aos clientes apanhados no aeroporto de Lisboa o que quiserem.
Vão mas é para o c@r*1h0

Anónimo disse...

Cambada de ch**os. Os que trabalham para os seguros cobram à pessoa e enchem carrinhas de 9 pessoas. Deviam ter vergonha. Assim não custa ser rico e andar aí com mania de gente importante.

Anónimo disse...

Devem continuar assim. O povo que se mate com a fome. Eu também quero um Mercedes para andar armado carapau.

josé a. pires disse...

quereis é o cu labado com leite de piça e andares armados em paneleiros. tindes bergonha de deser caralho?