terça-feira, 16 de junho de 2009

A verdadeira questão...

Sócrates deixa de pedir renovação da maioria absoluta.
Pois eu não deixo de pedir a expulsão da vida política dele e dos seus apaniguados, confrades e compinchas...
Afinal o estratega de metro e meio ainda não percebeu que o galã suspeito de quase tudo, aquele cujo passado é um vastíssimo lamaçal sulfuroso, está completamente queimado e já não consegue voltar a enganar ninguém? Continuam a deixar tudo na mesma, com os capangas do regime de pedra e cal? Óptimo, o tombo será maior do que alguma vez poderão pensar...
Volta o amor pela educação? Agora? Depois de quatro anos a fazer o que fizeram? Ao menos tenham coragem e reafirmem a continuidade do trio maravilha... Digam-no já. Mas esqueçam, os votos dos professores e das suas famílias, dos alunos e dos pais, excepção feita, naturalmente, ao subsídio-dependente Pai dos pais... Mas não se esqueçam de esquecer também os dos polícias, os dos funcionários públicos, da saúde, da justiça, dos reformados que ainda estejam capazes de pensar, enfim, de todos menos dos votos do aparelho e da nomenkulatura... São os votos que terão.
Pedir votos aos portugueses que trabalham é tão estúpido como hitler ter pedido o voto dos judeus...

4 comentários:

Luis Melo disse...

O jornal Público noticia hoje que Sócrates confunde maioria absoluta com maioria parlamentar

Eu parece-me é que quando o PM entrou para a reunião da comissão política, ia cabisbaixo e derrotado, depois da estrondosa derrota nas eleições europeias. Sócrates "perdeu o pio" e a arrogância transformou-se de repente em humildade.

Mas bastaram umas horas dentro de uma sala com os seus pares (leia-se boys) a bajularam-no para voltar a ser o "velho" Sócrates que os portugueses conhecem: arrogante, seco, cínico e falso. A dar o dito por não dito mais uma vez.

Mais 3 pontos para José Sócrates na Superliga "incompetente-mor"

quink644 disse...

Mas essa Superliga é um trabalho hercúleo... Como é que se vota? Eu voto já um nariz de palhaço para o constâncio e uma bigorna nos cornos do falso injinheiro e verdadeiro sacripanta...

Vesgo disse...

É claro que estás correctíssimo.
O problema desta pseudo Democracia é que o povo é quem mais ordena.
Povo que está cada vez mais estupidificado, envenenado e atrofiado pela Corja, via comunicação social e não só.
Ora como estes, sabemos, vão ser fortemente agredidos até Outubro pelo marketing governamental, com promessas de idas à Lua e de sorteio na “Roda dos Milhões” da torre de Belém, Mosteiro da Batalha, etc, temo seriamente pelo nosso futuro….
A minha posição, desde há uns anos para cá, tem sido invariavelmente a mesma: Em vez de, por exemplo, 75% de abstenção, deveria verificar-se 75% de votos brancos. Seria fantástico! Já imaginaste?
Votantes: 10.000.000
Resultados)
Votos Brancos: 7.500.000 (75%)
PSD: 1.000.000 (10%)
PS: 1.000.000 (10%)
Outros Partidos: 500.000 (5%)
A realidade Portuguesa, efectivamente, não anda muito longe disto.
Contudo, a leitura dos resultados seria muitíssimo diferente.
Seria o inicio oficial…

Vesgo disse...

No comentário publicado leia-se:
"como este, sabemos, vai ser fortemente agredido". Desculpa-me o erro.