domingo, 2 de novembro de 2008

Viva o amigo Estado...



Governo anuncia nacionalização do BPN


Óptimo, bela notícia… Ficamos a saber que o Estado fica comprador dos negócios que corram mal, isto é que foram delapidados pelos especuladores, administradores e directores em negociatas sujas e nada transparentes, após essa actividade estruturante para a economia portuguesa, entram em falência e o Estado compra… Mas atenção, têm que ser bancos… no resto dos negócios o Estado está-se nas tintas, se o Zé Almeida abre um negócio de canalizador, por conta própria ou como sua pequena empresa, se se lhe acabar o negócio, muitas vezes porque os credores lhe ficam a dever, a Canos Almeida Lda. não é nacionalizada e o homem fica a pagar as dívidas o resto da vida… Quem o mandou não ser banqueiro…
Belo exemplo nos dá o Estado, enquanto não houve problema vigorou a livre concorrência do mercado e foi roubar à bravosca, competiam a ver quem sacava mais; quando as coisas não correram bem, o Estado, com o nosso dinheiro, garantiu-lhes o aval das negociatas e não deixou a livre concorrência e as leis do mercado funcionarem, deixando ir à falência os nossos banqueiros e especuladores. Mas, então, já que intervêm na Economia e nas leis do mercado porquê que não o faz também nas gasolineiras, impedindo-as de venderem os combustíveis aos preços usurários a que os vendem? Se intervém para ajudar os grandes, mais depressa deveria intervir para ajudar a todos, não é? É que se o mercado, neste caso, funcionasse, as contas eram fáceis de fazer, com o crude a $147 (USD) o barril
o gasóleo vendia-se a 1.4€, agora, com o crude à volta dos $60 (USD), deveria vender-se a… nunca mais de 0.70€ o litro, o que ainda deixava muita margem para as sanguessugas da mangueira encherem a pança… Mas é assim que o governo é. Forte com os fracos e fraco com os fortes… o saldo é, pois, fraco ao quadrado…

Claro que para Vítor Constâncio no BPN não há culpados, nunca há culpados entre os amigos e este cavalheiro é amigo de todos os que são desonestos e trapaceiros em Portugal... Até quando?

3 comentários:

Anónimo disse...

Meus amigos..então vocês toscos não perceberam que BPN significava Banco Para NADA....

e DEPOIS O BURRO SOU EU....

Anónimo disse...

http://www.youtube.com/watch?v=T4rXx-xXeG8&eurl=http://geteducated.ning.com/

raivaescondida disse...

Vale a pena consultar a crónica de Gobern citado no post “Adeus aos mestres” no blogue O cantinho da educação) sobre a avalanche de reformas antecipadas de professores, com as respectivas e duras penalizações. O download está lento mas compensa.
Que tudo isso provém de estratégia consertada pela tripla Primeiro Ministro/Ministério das Finanças/Ministra da Educação é difícil de provar mas é por demais evidente. E chama-se assédio moral ou mobbing se preferirem. É receita usada em certas multinacionais (já aqui o disse algures mas quero insistir): a receita consiste em tornar a vida profissional dos funcionários intermédios (mais caros) impossível, humilhar e achincalhar de forma mais ou menos subtil, com despromoções mais ou menos disfarçadas de remodelações necessárias ao serviço e eles vão-se embora por decisão própria: uma forma de não pagar qualquer indemnização, já que é o funcionário que desiste e pede a reforma se estiver já em situação de o fazer ou pede a demissão.
Insisto nisto pois talvez alguém pegue na ideia de colocar o Estado em tribunal. Pessoalmente não estou em condições de saúde de pensar nisto e muito menos de consultar (a custas minhas) um advogado. Prescindo actualmente de qualquer apoio sindical. Os sindicatos já trataram da nossa vida com o memorando de entendimento: agora vão para a rua no dia 8 deste mês. Já entregaram a rescisão ou denúncia unilateral do memorando ??? Não será isso que terão que fazer antes da manif??? Ou a manif é só por causa do concurso próximo dos professores que qualquer papalvo não jurista saberá que não pode incluir nem irá incluir a avaliação dos professores avaliados já (por mero acaso), nem a ministra pensa fazê-lo, embora mantenha a indefinição para depois dizer que fez compromissos e blá blá blá e neste concurso ainda não mas para o próximo já sim, e blá blá…..????
Sobre esta convocação pela Fenprof (ou plataforma, que agora não dá para perceber bem) da manif de dia 8, em desespero de causa, quando verificaram que os professores iriam sair de novo à rua, com ou sem sindicatos, nem vou dizer mais nada. Que seja dia 8 ou 15 é indiferente. Mas os media deviam ser informados de que uma vez mais os sindicatos estão a reboque da classe e estão muito longe de poderem alegar que a representam!!!!!!! É o que penso , quem não gostar, paciência, é melhor passar a outro blogue que não diga mal dos nossos gloriosos e honestíssimos plataformistas!!!!!