sábado, 26 de julho de 2008

E ainda bem...


Algumas vítimas da atitude racista e fascista da GNR...


As não notícias agradam-me… e agradam-me na medida em que, a partir delas, podemos inferir o que está por detrás do motivo que as originou. O assunto da Quinta da Fonte tem vendido bem, está a esmorecer e a questão do racismo é um assunto que vende e dá sempre que falar. Agora foram buscar uma portaria respeitante à GNR, datada de 1985, que choca toda a gente por se considerar que é racista, abusivo e discriminatório, fazer buscas, às caravanas, leia-se carroças ou outros meios, sempre que se suspeite de algo ilícito… Vêm os representantes dos ciganos dizer que é racismo, logo não devem ser revistados; até os representantes da própria GNR, dizerem que a lei é racista e fascista e que não a deveriam cumprir porque são contra ela…
Pois bem, se os ciganos não devem ser menos que os outros cidadãos, igualmente não devem ser mais, que é normalmente o que acontece, dar-se-lhe mais tolerância por serem ciganos e por, facilmente, resistirem por desacatos… e isto em todo o lado… Depois, aos GNRs e outras forças da ordem pública não se lhes pede que opinem sobre as leis mas, tão só, que as façam cumprir.Finalmente, eu, como estou certo que muitos milhares de portugueses, já fui mandado parar na minha viatura, ainda por cima sem qualquer suspeita, aleatoriamente, e depois de verem os documentos, revistaram-me o carro… Diversas vezes… Nunca me ralei com isso, porque ando dentro da lei e não tenho nada a temer, porém não me lembro de ouvir o GNR dizer-me, desculpe lá, eu sei que isto é fascista e racista, mas tenho mesmo que lhe revistar o carro… soprar no balão, ser revistado, passado por raio X, apalpado, etc., etc., etc. Por isso, tenham juízo e pensem bem antes de dizerem ou escreverem baboseiras..
.
Outras vítimas da atitude racista e fascista da GNR...
.
.

4 comentários:

Compadre Alentejano disse...

Há que ter coragem e fiscalizar toda a gente: brancos, negros, ciganos, etc. Esta vigilância é boa para nós todos. E, sobretudo, não ter medo dos nomes que nos possam chamar: racistas, xenófobos, etc. Façam uma análise, e verifiquem quem são os verdadeiros racistas.
Abraço
Compadre Alentejano

Jaime Dinis disse...

“Está tudo grosso…”
Temos que definitivamente perceber quem é que é cigano em Portugal.
É que, se conhecermos bem a sua história e costumes, existem por cá muitos mais do que aquilo que parece. Somente sem as vestes típicas, a pronúncia, a carroça, as relações de parentesco e o fototipo de pele.
Querem-me convencer que, só como exemplo, os Zés e o Marocas&filhos não o são???
Não, não me demovem…
E estes, de facto, estão imunes à fiscalização nas estradas. Porque é que os assumidos também não o devem estar???
Não! Já há muito tempo que não existe racismo em Portugal! A transição do conceito de raça para diversidade cultural (Levi Strauss, 1958), foi logo acatada por nós! Ficaram, desde então, apenas a existir indivíduos azuis: Os claros, escuros, bebés, etc.
E a nós, azuis-claros, apenas nos cabe pedir desculpas quando nos pisam os pés!
“Está tudo grosso…”

Professorinha disse...

Acho que neste país sofremos muito com a mania de que se fazemos algo é porque é racista ou fascista... Depois de mais de 30 anos ainda não deixam o Salazar em paz?? Poupem-me...

Anónimo disse...

Eu apoio os ciganos..se fossemos todos como eles este apís ia para a fente sem gastrmos dinheiro emk cef ou cif ou novas oportunidades..como os gaijos não mandan os filhos -só até á 4º CLASSE E BASTA- e as filhas nem isso ..imaginem os milhões que se3 poupavam..depois casam cedo..fornicam que nem cães e teem filhos que nem coelhos..problema demográfico resolvido..