segunda-feira, 4 de agosto de 2008

Também já estamos fartos de ti...



Aqui no estado central também já estamos a ficar muito fartos deste senhor Jardim e das suas alarvices... Mas mesmo muito fartos, pena é que não exista aqui ninguém com coragem suficiente para pôr este arruaceiro na ordem... Este cromo é o reflexo da baixeza aonde chegou o país... começa a ser tempo de lhe perguntar, e aos madeirenses, o que querem... Mas preto no branco. Se eles acham que passam bem sem nós, eu também acho que passamos bem sem eles... Se for isso que eles, e já agora os açorianos, quiserem que vão fazer companhia a Cabo Verde.

4 comentários:

Miguel A.Ferreira disse...

Não vamos confundir aqui o que AJJou PSD-M quer e o que os madeirenses querem.

Já agora, o que Portugal dispensava era posts que se esquecem que Madeira e Açores são tanto ou mais Portugal do que quaisquer outras regiões. Aqueles que pensam que as regiões autonomas vivem às custas do continente... informem-se melhor.

quink644 disse...

Ninguém aqui confundiu nada com ninguém. De resto, nada mais é dito que estamos fartos desse senhor malcriado e prepotente e que compete aos habitantes das regiões autónomas também terem um pouco mais de cuidado com quem escolhem... Ninguém aqui falou em mais nada, porém, se quer a Madeira quer os Açores quiserem/quisessem a independência para mim era igual ao litro, concedia-a nesse momento. Não creio que ninguém deva viver contrariado sobre o jugo de outrém...

Anónimo disse...

A Africa aos africanos! Já !

Jaime Dinis disse...

Pessoalmente, não coloco em causa o patriotismo que os Madeirenses e os Açorianos manifestaram ao longo da história, destacando, a título de exemplo, a resistência dos terceirenses à dinastia Filipina. Estes, ainda hoje se orgulham de na sua ilha “ter já sido só Portugal”.
A questão é que os tempos são outros, e a postura que os ilhéus em geral têm assumido, pelo menos desde o 25 de Abril de 1974, há muito que deveria obrigar os sucessivos governos da Republica a exigir-lhes uma definição clara e objectiva das suas pretensões.
Não conheço a realidade das regiões autónomas só da comunicação social mas, sobretudo, porque passei algum tempo naqueles territórios e sei bem o que pensam efectivamente os seus naturais:
Quando a politica do continente lhes é favorável em termos sócio – económicos, são pró – Portugal;
Quando sucede o inverso, “aqui del’ Rey, o continente é colonialista”, e ameaçam o governo central com a independência!
Ora, não vejo nenhum Transmontano ou Alentejano a apresentarem estas atitudes quando lhes acontece o mesmo!
Hoje, isto é patriotismo?...
Assim, opino que na primeira “ameaça” de pretensões de independência daqueles territórios por parte de Alberto João&Companhia, o assunto tinha de ficar forçosamente resolvido. E se passasse pela independência, muito bem!
Não compreendo nem suporto é camaleões e, mais grave, cedências a este tipo de chantagens por parte da corja politica continental…