quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

Fosse para lá ela e o bininho...

Há alturas em que eu gostava de estar noutras escolas... Gostava de ver quem é que me obrigaria a sair da escola para brincar ao Carnaval... Essas, como tantas outras coisas, são coisas que os professores fazem por carolice e não por obrigação... ninguém pode obrigar professores a desfilarem na rua... Muito menos esse hipopótamo de merda que, em condições normais e nem me vou esticar muito, já devia ter levado com uma dúzia de ovos nos cornos...
Já agora... porque não a requisição civil dos professores?

3 comentários:

olhardomiguel disse...

Ora, aqui temos uma de duas boas soluções para o futuro: serviços mínimos/requisição civil ou atrofiar os planos de actividades.

Anónimo disse...

Quais planos de actividades?

O que eu quero mesmo é ir à drogaria mais próxima comprar uma carrada de espuma, envolver o meu corpo nela, vestir um pijama azul cueca nº 100 e ir pavonear-me para a rua feita Popota. ( tudo mentira: não sou de carnavis nem me preto ao rídiculo de andar em desfiles tipo "Coreia do Norte".

O que acho engraçado, é o Entrudo Chocalheiro da min ha aldeia de origem, com cachopos a fazer maldades às moças e a fazer incursões nos fumeiros das casas abastadas.

Para saberem mais sobre o Entrudo Chocalheiro,podem catar informação sobre Malpica do Tejo e respectivas tradições. ( O Zeca Afonso não adorou a cantiga e estou convencida que todos a conhecem)

Beijos


MG

Anónimo disse...

Enganei-me no comentário anterior: O Zeca gostou dos versos e do espírito da cantiga
"(...) Ó entrudo, ó entrudo, ó entrudo chocalheiro
que não deixas "assentari" as meninas ao "sólheiro"
(desculpem a trancrição fonética tosca..)

beijos