sábado, 3 de janeiro de 2009

Porquê que a CP tem que ser diferente?



A sensação com que vivemos é que tudo em Portugal “assume contornos de associação criminosa,”seja o que for, porque não, também, a CP? É menos que as outras empresas de tacho? O que é a compra de umas automotoras sem concurso, se o Conselho de Ministros aprovou há quatro dias que nos dois próximos anos as obras públicas, até 5.15 milhões de euros, podem ser contratadas por ajuste directo? Claro que todos os negócios serão faseados por parcelas de 5. 15 milhões de euros, e porque não fasear por ajuste directo as automotoras? Compram-se às peças… Simples, não é?
Bom, mas se o presidente Cardoso do Reis afirma que é tudo falso, então é porque é... Devemos depositar nele toda a nossa confiança... Era o que faltava...

3 comentários:

Sapo_cocas disse...

Muito obrigado.
É com agrado que vejo alguém que sabe dissecar estas informações, as quais ninguém , ou na grande maioria, liga como sendo um problema. Normalmente dizemos que estes assuntos são lá "deles", lá da assembleia da república, onde se juntam uns assalariados, para discutir uns momentos e depois vão comer todos juntos. Pois é, como é que nos havemos de importar com isto, se não ligamos a uns dos pilares mais importantes da liberdade do indivíduo na sociedade, que é a de uma democracia forte, participativa e eficaz? Temos, nós - eu, o senhor, e todos os outros que querem realmente ser "livres" mudar isto. O sistema já não nos representa. Representa relações de poder para além da nossa cruzinha de 4 em 4 anos.

Muito obrigado pelo seu post.

Anónimo disse...

É fartar vilanagem...
Estamos cercados! Os nossos tanques estão cercados e os outros também já não se aguentam no balanço.

Já começo a perder a paciência: estas notícias são más para a paciência. Quando é que esta gentalha aprende a palavra "maneiras" ?

abraço

MG

Anónimo disse...

Esta notícia deve ter qualquer conotação com o outro idiota que ameaça trucidar-nos. Podíamos começar a chamá-lo , ou "Locomotiva" ou, então o "Trucidas".

Aqui na loja a menina da caixa enfada-se e necessita de promover um concurso.

Beijos